Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Apeadeiro da Mata

Apeadeiro da Mata

06
Jan24

Árvores no Vale de Baixo: Dez / 23

Francisco Carita Mata

Pinheiro Manso. Foto Original. Dez.23

E resultado de trabalhos no Ginásio IV!

Estas fotos, de Dezembro, mostram algumas árvores no “Vale de Baixo”. São de 19 a 27/2023. Traduzem também a evolução de Outono para Inverno.

Titulando o postal, o “Pinheiro Manso”, que plantei entre pedra granítica, que rebentaram, para aproveitamento, mas que não concluíram. Por isso ficou uma fissura, onde a árvore se vai desenvolver. Junto à pedra, os “aparelhos de Ginásio”!

(Tinha protegido o Pinheiro, com rede, chamiços e canas, de modo que ovelhas e cabras não se pudessem aproximar e roer a planta. Situação que ocorreu por duas vezes, antes desta proteção rudimentar. Este pinheiro foi-nos dado em Almada, há cerca de dez anos, na habitual troca por lixo para reciclar. Iniciativa que a Câmara desenvolve também há várias dezenas de anos. O que nos tem permitido obter várias plantas.)

Os chamiços, em montão, antes de serem queimados.

Chamiços. Foto original. Dez.23

Ao longe, os monumentos carismáticos de Aldeia. No centro da foto, um Eucalipto que o Pai plantou, talvez há mais de trinta anos, também entre duas pedras graníticas nascediças. É atualmente, a árvore de maior porte do espaço.

(Várias Oliveiras, várias vezes centenárias, posicionadas no terreno.)

Ao lado esquerdo, observa-se uma Azinheira, nascida naturalmente entre duas pedras, que me lembro de ver sempre no terreno. Terá várias dezenas de anos. Foi nela que nos inspirámos para plantar árvores entre pedras.

Eis, imagem dessa Azinheira, in situ.

Azinheira. Foto Original. Dez.23

O Pinheiro com a proteção atual, que julgo suficiente face às ovelhas.

Pinheiro Manso. Foto Original. Dez.23

(Perante as cabras não sei!)

As cinzas!

Cinzas. Foto original. Dez.23

O fogo já fora!

(As fotos anteriores são todas de 19/12/23.)

As próximas três são de 24 de Dezembro.

O Chorão, ainda em modo de Outono.

Chorão. Foto original. Dez.23

Ontem, 05/01/23, ainda tinha folhas! Hoje, seis, “Dia de Reis”, está quase totalmente de Inverno. De noite, houve muito vento.

A parte central do Vale, com as árvores de folha caduca, todas em modo de Inverno.

Vale. Parte Central. Foto original. Dez.23

(Ameixieira, gamboeira, freixos, choupo, salgueiro, diospireiro…)

Lado SE e Este do Vale.

Vale. Parte SE e E. Foto original. Dez.23

As Catalpas, já no Inverno. O Carvalho Roble ainda tem folhas amarelas. Mas o irmão já as perdeu.

O mencionado Carvalho Roble, dia 27 de Dezembro.

Carvalho Roble. Foto Original. Dez.23

(Hoje, 6 de Janeiro de 2024, ainda tinha folhas.)

Cada tempo tem seu tempo!

(Para esta metodologia, Outono – Inverno, de certo modo, inspirei-me em "maiordesessenta".)

 

20
Dez21

Despedidas Outonais: Aldeia da Mata

Francisco Carita Mata

Dezembro 2021. Outono, quase, quase Inverno!

(Árvores com História!)

O Outono termina amanhã, iniciando-se sequencialmente o Inverno. (Esta é uma das tais verdades…)

Em termos de tempo meteorológico, o Inverno, de facto, iniciou-se hoje. Chuva… Chuva…e que falta fazia. Frio, vento, tempo invernoso, que também faz parte da ementa. Ontem, no regresso da passeata ao Miradouro, na “Cidade de Régio”, já sol-posto, o vento apresentava-se forte, frio e feio. Anunciava a chuva, chamava o Inverno. Ele aí está, embora só amanhã ele “marque o ponto” oficialmente.

As fotos ilustram “Despedidas Outonais”, de Árvores, no “Vale de Baixo” e na “Tapada das Freiras”. Em Dezembro, ainda Outono, quase Inverno.

Chorão:

Chorão no Vale. Foto original. 2021.12.12.jpg

Árvore plantada por mim, a partir de bacelo que trouxe do Parque da Paz - Almada.

Carvalho Roble ou Alvarinho:

Carvalho roble ou alvarinho. Foto Original. 2021.12.12.jpg

Obtido a partir de semente que trouxe também de Almada. Semeei a bolota num vaso. Germinou. Cresceu. Com três ou quatro anos, transplantei-a para o local onde se encontra.

Ambas as árvores anteriores estão plantadas no “Vale de Baixo”.

Aroeira:

Aroeira. Tapada das Freiras. Foto Original. 2021.12.12.jpg

Planta autóctone, nascida espontaneamente, na "Tapada das Freiras".

Carvalho Negral:

Carvalho Negral. Tapada das Freiras. Foto original.2021.12.12.jpg

Também autóctone. Nascido certamente também de forma espontânea na "Tapada das Freiras".

Imagem icónica:

Aldeia. Torre Sineira. Araucária. Foto original. 2021.12.12.jpg

Vista da Aldeia, com a Torre sineira da Igreja Matriz e a célebre Araucária. E o Chorão! E uns raminhos de Oliveira. E outras árvores.

Adeus Outono! Viva o Inverno!

Um Santo e Feliz Natal!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D