Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Apeadeiro da Mata

Apeadeiro da Mata

01
Dez23

Objetos de uso antigo. Agora… peças de coleção?!

Francisco Carita Mata

Alguidares. Foto original. Nov.23

Alguidares de barro, "achados" numas arrumações no sótão.

Alguidar de Estremoz. Foto original. Nov.23

Atualmente, estes alguidares praticamente não têm valor de uso. Mas já tiveram!

Antes do advento dos plásticos e quando, regularmente, se fazia a matança do porco, eram utilizados para as várias tarefas associadas a esta função tradicional. Direi que ainda tinham utilidade nos anos setenta e oitenta do séc. XX.

Para temperar a carne do porco. Um para as morcelas, outro para as cacholeiras, outro para os chouriços vermelhos, outro para os chouriços mouros, outro para as farinheiras. E, depois eram os lombos!

Este conjunto de alguidares, diferentes em tamanho, têm duas origens de fabricação. Sendo ambos vidrados, os que têm desenhos estilizados são de Estremoz; os simples, sem qualquer desenho, eram fabricados em Flor da Rosa.

Alguidar de Estremoz. Foto original. Nov.23

Um destes de Estremoz, como podemos ver na foto anterior, está ligeiramente quebrado, tem uma fenda. Mas conseguimos perceber que foi como que cosido, com uns agrafos de metal. O que se verifica melhor na foto seguinte.

Alguidar de Estremoz. Foto original. Nov.23

E porque documento esta situação?!

Para percebermos que, à época, tudo se reaproveitava. Eram consertados por alguém habilidoso ou então por homens que corriam as aldeias, vilas e cidades do nosso país, arranjando os mais diversos utensílios.

Desde tesouras, facas, … – os “Amola-tesouras”, que ainda por aí circulam. (Bem há pouco tempo presenciei, conversei e fotografei um senhor na Margem – Sul, arranjando estes utensílios, defronte de uma churrasqueira famosa.)

Outros arranjavam vasos, panelas, marmitas, tachos… (…de comer, não os outros, como se chamavam nessa época). Estes eram conhecidos por “Gateiros”. (Não sei se ainda por aí circularão pessoas com esta atividade artesanal.)

E, pronto, Caro/a Leitor/a, hoje lembrei-me de trazer ao blogue estes “Alguidares”!

Alguidar de Flor da Rosa. Foto original. Nov.23

Conhecia?! Tem na sua casa ou na de familiares?!

(…)

Não! Não quero comprar. Estes bastam-me!

Vender?!

Saúde e Paz!

 

12
Fev23

Visita à “aldeia” do Chamiço (II)

Francisco Carita Mata

Enquadramento(s), Contexto(s) e Sugestão!

Na sequência de postal anterior, com fotos de alguns monumentos específicos desta antiga aldeia abandonada, continuo a documentar aspetos do enquadramento paisagístico do ancestral povoado, em que familiares Carita viveram, até meados do século XIX.

Entroncamento de caminhos: antigas ruas da povoação, com partida da ermida.

Caminhos / Antigas ruas. Foto Original. 02.02.23.

Barragem

Barragem. Foto original. 02.02.23.

Obra recente, construída para servir de reserva à barragem de abastecimento de água ao concelho do Crato. Observa-se, ao fundo, a estrutura para a respetiva captação. Entretanto, o paredão rebentou.

Foi construída em terrenos expropriados ao Primo João Carita, segundo ele me informou muito recentemente. (Também trineto da senhora Carita, ainda aí tem um pequeno chão, à venda.)

Imagens do desfiladeiro da Ribeira do Chamiço...

Desfiladeiro I. Foto Original. 02.02.23.

...a montante do moinho e da ponte.

Desfiladeiro II. Foto Original. 02.02.23.

Excerto de antiga pedreira, na margem direita da ribeira, junto ao desfiladeiro.

Pedreira. Foto Original. 02.02.23.

Pedras mastodontes, também na margem direita, a nordeste do alcantilado anterior.

Pedras mastodontes. foto original. 02.02.23.

Nova perspetiva do alcantilado desfiladeiro.

Desfiladeiro. Foto original. 02.02.23.

Outra perspetiva da barragem.

Barragem. Foto original. 02.02.23.

Portal para propriedade do Srº Aníbal Rosa, o cicerone da visita guiada.

Portal. Foto original. 02.02.23.

Não visitámos, porque ele não tinha a chave do portão.

(Terá sido neste “monte” que habitou a Tia Rosária Carita nos anos sessenta?!)

Última foto: estrutura moderna de apoio às festas e romarias que se realizam em homenagem a Santo Isidro.

alpendre. foto original.02.02.23

No mês de Maio?! (Hei-de saber!)

Apesar de ser uma antiga localidade, extinta, há sempre quem, no presente, reviva o passado. E acredite e projete o futuro!

Finalizando, um apelo / sugestão deixo:

É importante que várias entidades se organizem para classificar globalmente o Chamiço como um Conjunto Monumental. (Independentemente de partidos, as várias Juntas de Freguesia das proximidades, a Câmara Municipal, os Organismos que tutelam as questões culturais e patrimoniais. Da região e nacionais. É Imperioso que tal se estruture!)

 

01
Nov21

As Alminhas de Aldeia da Mata

Francisco Carita Mata

Festejar os “Santinhos”!

E o “Combate de Flor da Rosa” na “Guerra das Laranjas” - 1801!

Alminhas Novas. Foto Original. 2021.07.09.jpg

Hoje, dia 1 de Novembro de 2021, reporto para postal publicado em “Aquém-Tejo”, em 25 de Outubro de 2014: “As Alminhas de Aldeia da Mata e o Combate de Flor da Rosa”.

Ilustro com fotos das designadas “Alminhas”.

Alminhas Velhas. Foto Original. 2021.07.09.jpg

Das “Alminhas Novas” e das “Alminhas Velhas”. E do espaço territorial onde terá ocorrido esse “Combate”. Que foi um dos poucos acontecidos durante a célebre “Guerra das Laranjas”.

Entrada Leste da Aldeia. Foto Original. 2021.07.09.jpg

Quando percorrer este espaço da estrada, lembre-se que aí ocorreu um “combate” da História de Portugal, que as “Alminhas” evocam. Fez, neste 2021, duzentos e vinte anos!

No texto citado, explica-se o enquadramento dos itens fundamentais referidos: “Alminhas”, “Santinhos”, “Guerra das Laranjas”, “Combate de Flor da Rosa”.

Leia, SFF. Irá apreciar.

Nicho das Alminhas Novas. Foto original. 2021.07.09.jpg

Se quiser aprofundar mais os assuntos, pode consultar a Bibliografia referida, a internet, ou a documentação existente no Arquivo Histórico Militar, em Portugal ou documentação em Espanha, que também há.

Grato pela sua atenção.

Ainda voltarei a este assunto. Com outras fotos. Não sei se as “Alminhas Novas” terão sido pintadas de novo. As fotos que tenho são de Julho, deste ano.

Muita Saúde!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D