Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Apeadeiro da Mata

Apeadeiro da Mata

01
Abr24

Viveiro no Café!

Francisco Carita Mata

No "Café do Jorge": Aldeia da Mata.

20240318_112458.jpg

Eu pensava que só eu é que tinha a "mania" de semear plantas, mas há mais pessoas que também têm este hábito salutar, educativo e louvável.

Quatro árvores, com direito a amesendação no "Café do Jorge"! Um mini viveiro, exposto na esplanada do Café, como se pode observar na foto!

Uma Laranjeira, um Sobreiro e as duas em segundo plano, julgo que são Azinheiras.

Pois, muitos parabéns, pela ideia e iniciativa.

*******

Uma excelente forma de celebrar e glorificar a Primavera!

 

23
Mar24

Flor de Camélia!

Francisco Carita Mata

No quintal de Francisco Pereira e de D. Maria Antónia.

Bairro de Stº António - Aldeia da Mata.

20240321_172738.jpg

Bem sei que as cameleiras ou japoneiras florescem ainda bem no Inverno. Mas como elas, muitas outras plantas, arbustos, ervas e árvores. Cada Planta tem a sua própria Primavera! Algumas ainda bem no Outono. As nespereiras iniciam a floração em Novembro!

Não importa! Esta cameleira, carregada de flores, despertou-me atenção e fotografei uma flor.

As cameleiras não se dão muito bem no clima do Alto Alentejo. Os nosso Verões são escaldantes! Excepção talvez das Serras do Nordeste Alentejano - Castelo de Vide, Portalegre, Marvão, em que o clima é mais suave e húmido.

Este exemplar, apesar de abundantemente florido, é bastante rasteiro, não atingindo a exuberância e majestade das plantas do Noroeste de Portugal!

Mas, mesmo assim, é notável pela abundância de floração.

Às camélias também lhes chamam "rosas do Norte". Nós, por aqui, temos as roseiras, de cujas rosas tenho apresentado bonitos exemplares nos blogues. Florescem todo o ano!

(O método técnico de edição foi o mesmo do postal de "Aquém-Tejo". Tentativa de editar via celular. Processo não concluído anteontem - dia 21/03. Conclusão efetuada hoje, já com o computador disponível.)

A mesma intenção: celebrar a Árvore, a Poesia e a Primavera!

Coincidências: Este ano, a Árvore portuguesa candidata a "Árvore Europeia do Ano" foi uma Cameleira artística de Guimarães. Julgo que ficou em 4ºlugar.

(Este senhor, Francisco Pereira, é do meu tempo de Primária. Quando tivémos um acidente de automóvel, em 93, ele e a esposa, D. Maria Antónia, foram as primeiras pessoas que nos socorreram. Muito Obrigado.)

 

20
Mar24

Chegou, hoje, a Primavera!

Francisco Carita Mata

Mas... estas plantas já floresceram antes dela chegar!

20240317_113529.jpg

(Não sei como se chamam estes "malmequeres". Flores do meio dia?! Só estão floridas durante o dia, à luz do sol. "Fecham" à noite. A foto é da primeira quinzena de Março. Estão num alegrete, bordejando uma tília, em Aldeia da Mata, no início do Bairro de Stº António.)

Feliz Primavera!

28
Set23

Outono – Verão – Primavera!

Francisco Carita Mata

Catalpa florida. Original. 24.09.23.

Três estações do ano em simultâneo!

Loureiro. Foto original.23

Para efeitos “institucionais” estamos no Outono. No passado dia 23, sábado, pouco depois das sete horas da manhã, ocorreu o equinócio de Setembro. Iniciou-se esta estação do ano. O sol, no seu movimento aparente, atingiu a linha do equador. “Caminha” até ao trópico de capricórnio, no hemisfério sul, aonde “chegará” lá para Dezembro, próximo do Natal. Será o solstício de Inverno. Até lá os dias irão sempre diminuindo: Outono!

Nascer do sol. Original. 25.09.23.

Todos estes “andamentos” sabemos que são aparentes. Quem se desloca é a nossa Terra. Todos os dias se desloca, dando uma volta completa sobre si mesma, em torno de um eixo imaginário. Essa rotação diária, 24 horas, origina a sucessão dos dias e das noites. Simultaneamente, vai-se deslocando em torno do sol, num movimento de translação de um pouco mais de 365 dias. Nesse movimento aproxima-se mais ou menos do sol e simultaneamente inclina-se também de forma diferente face ao mesmo, expondo mais o hemisfério norte ou o sul. Todos estes movimentos originam as diferentes estações do ano.

(Todas estas pretensas “explicações” resultam do que assimilei de quando estudei Geografia. Não pretendo “dar lições” a ninguém. Simplesmente apeteceu-me escrever sobre este assunto do tempo e sobre o tempo que vivemos.)

Pôr do sol. Foto original. 27.09.23.

Estamos, factualmente, no Outono.

Mas o calor reporta-nos para o Verão. (Ademais bem quente!)

E, já reparou nas plantas?!

Altemira. original. 24.09.23.

Dezenas delas estão floridas! Florescentes como se estivéssemos na Primavera!

Planta que desconheço. Foto original. 24.09.23

3 estações do ano em simultâneo: Outono, Verão, Primavera!

Carvalho roble ou alvarinho. Foto original. 01.09.23

O Gil é o que menos se importa com estas coisas...!

Gil. original set 23

Bons passeios! Bom descanso! Bom Outono!

*******

Fotos?

Todas originais:

Catalpa florida - loureiro seco do verão - nascer do sol - pôr do sol - altemira - flor que desconheço nome - carvalho roble ou alvarinho - gato gil.

 

11
Mai23

Ameixoeira Frutificada!

Francisco Carita Mata

Vale de Baixo – Aldeia da Mata

No caminho da Fonte das Pulhas ou do Porcos Unho!

Ameixoeira frutificada. Original. 05.05.23

Há cerca de vinte anos, pouco mais ou menos, semeei uns caroços de ameixas, no Vale de Baixo, entre a valeta sul e a parede, bordejando a Azinhaga da Fonte das Pulhas. A maioria não terá nascido, como é costume. (Se eu me orientasse pela taxa de sucesso das minhas sementeiras / plantações, há muito que eu teria desistido desta tarefa / função / mania / trabalho / idiossincrasia. Outro nome lhe chamaria, pensarei eu, mas não escrevo.)

Preciso de ter uma confirmação exata que esta ameixoeira resulta dessa sementeira, mas para isso tenho de a ver com os frutos amadurecidos. Veremos se será neste ano.

Frutos já tem, neste ano de 2023, como se pode observar na primeira foto. Não são muitos, mas esperemos que os poucos que tem, amadureçam.

Ameixoeira. Foto original. 07.05.23.

Em 2020 estava carregada. Mas foi o ano da pandemia. E, na altura em que estariam maduros, já lá mais para finais de Junho / Julho, ocorreram situações constrangedoras, no âmbito da Covid, e não pudemos vir à Aldeia. De modo que nunca vi os frutos no estádio final.

Perguntei a alguns dos passantes habituais, mas ninguém se lembrava dos frutos, de como eram ou deixavam de ser, de cor, forma, sabor. Adiante… Há muito boa e santa gente que não liga a estas coisas peculiares da Natureza.

Mas a Árvore terá amadurado as ameixas. Não me parece que a covid tenha afetado o respetivo amadurecimento! Se, ninguém, humano, as comeu, tê-las-ão comido os passarinhos, julgo eu. Mas esses também questionei, mas também nenhum me respondeu. Os rouxinóis dão-me música. E que música! Celestial! Todos os dias, quando faço o meu circuito de manutenção, muitas vezes acompanhado pelo Gil, eles cantam, cantam, trinam, trilam, gorjeiam, é algo sublime, encantador, inigualável, inimitável.

- Caro/a Leitor/a, costuma assistir aos concertos dos rouxinóis, aí para os lados onde habita?!

(Ainda sobre a Covid, será que as pessoas ainda têm consciência de como foi esse singular ano das nossas vidas?! Ou a Covid nunca existiu?! O Ser Humano tem por vezes amnésias seletivas!)

Mas nada disso é relevante para o fundamental.

Não sei o nome das ameixas ou abrunhos que semeei. Sei que eram caroços de uns frutos dessa espécie, muito vulgares, pretos, oblongos, carnudos e saborosos. Vendem-se todos os anos nos supermercados. Gosto de comprar, habitualmente.

Os desta ameixoeira, lembro-me de os ver verdes e tinham o formato elíptico. Os da foto inicial já apontam para essa formação. Aguardemos.

Se forem pretos, confirma-se a minha hipótese. A Árvore resultou da minha sementeira.

Ameixoeira. Foto original. 07.05.23.

Até lá, se chovesse um pouquinho, não faria mal.

Bem sei, que anda pessoal nos fenos…

(Não chovendo, terei de começar a regar.)

 

08
Mai23

Coletânea "ERA UMA VEZ...ALENTEJO" 23

Francisco Carita Mata

Os meus contributos 2023

Aldeia da Mata vista do Rescão. Foto original. 04.04.23.

Aldeia da Mata - Povoação centenária do Alto Alentejo.

Vista a partir da Tapada do Rescão.

O perfil do povoado mais antigo: "Terreiro". A Torre Sineira da Igreja Matriz e a Araucária, os dois ícones da Aldeia. 

Enquadrando a paisagem e a foto, ramagens de azinheiras. E oliveiras.

Os restos dos muros antigos de pedras graníticas, delimitando as propriedades. A partir da Tapada do Rescão, de onde tirei a foto, identifica-se o Chão da Pereira, a Tapada das Freiras, o Vale de Baixo. Seguem-se os Chãos e quintais junto às habitações.

*******

Esta foto inclui-se na Antologia Virtual, integrando a referida Coletânea, promovida pelo Instituto Cultural de Évora e divulgada através da Editora Recanto das Letras.

Consulte SFF.

Participei também com um poema: Maios de Abril, interligado com foto também original, que divulguei em Aquém-Tejo.

No ano passado também já havia participado.

Ainda penso organizar postal, com ligações para outros participantes do universo SAPO.

Boas leituras virtuais é o que lhe desejo, Caro/a Leitor/a.

Obrigado pela sua atenção.

 

10
Abr23

Que é feito de Bart e Mi–Dú?!

Francisco Carita Mata

Gatos no meu quintal (IX)

Já por aqui tenho trazido narrativas sobre os “Gatos no quintal”. Acompanhadas, geralmente, de fotos. Nesta nona estória, remeto para fotos em postais anteriores.

Este quarteto de irmãos gatos, que venho acompanhando desde início de 22. Crianças ainda. Foram crescendo. Após várias peripécias e ações educativas, passaram a amesendar-se no Quintal de Baixo. Um regalo! Adoram!

Atualmente serão adultos jovens. Pouco sei sobre a cronologia gatal. Dois gatos e duas gatas. A descoberta identitária também é recente. Atribuí-lhes nomes. Os rapazes, dado o seu caráter aventureiro, batizei-os de Gil (Eanes) e Bartolomeu (Dias) - Bart, para as “amigas”! As raparigas, personagens de romances: Ricardina e Maria Eduarda, para os “amigos” “Mi-Dú”!

Há mais de três semanas que não vejo nem Bart, nem Mi-Dú. O que lhes terá acontecido?! Terão ido passear para algum daqueles locais paradisíacos onde estrelam as nossas caras conhecidas das TVs?! Sei lá! Para as Malvinas ou outros exóticos lugares de eleição…

Malvinas?! Se a Dona Thatcher cá estivesse ela te diria. Maldivas, tá bem. Comores! Maurícias, esses sim, são locais de sonho! Malvinas?! Isso, nem para as argentinas!

Bem, não importa. Bartolomeu e Maria Eduarda não aparecem, há semanas.

Preocupa-me que tenha havido alguma ação predatória sobre os ditos: o dito e a dita.

Por outro lado, também conjeturo que, dado o possível “estado interessante” em que Mi-Dú se encontrará, se tenham recolhido nalgum local resguardado para que, o que a Natureza exige que aconteça, venha a acontecer, com calma e sossego, longe de olhares indiscretos e persecutórios.

Se foram para alguma praia longínqua, bem podiam ter ido para a Costa, que nestes feriados pascais se encheu de banhistas. Tem estado um calorão, muito acima das temperaturas para a época!

Nos campos, os maios estão floridíssimos, os insetos andam numa agitação febril. Os répteis em alvoroço! Nestes dias iniciais de Abril, já vi três cobritas. Algo que costuma ocorrer lá mais para Maio! (Por acaso, nem Gil nem Ricardina têm andado por perto. Gostava de ver a respetiva reação.)

Esperemos que Bart e Mi-Dú apareçam!

Caro/a Leitor/a, se os vir por aí, comunique, S.F.F.

Obrigado pela atenção. Votos de excelentes dias primaveris!

 

09
Abr23

Votos de Páscoa Feliz!

Francisco Carita Mata

Seu nome: rosas!

 

Flores bonitas e airosas

Brotam no Atafona Chão

São as alegres mais vistosas

Quando perfumadas, cheirosas

Que nos falam ao coração.

Todos sabem seu nome: rosas!

 

Votos de Feliz Páscoa!

*******

(Notas Finais: Esta sextilha era para ser acompanhada de fotos de bonitas rosas. Mas o "sistema / servidor" informa-me que não posso colocar mais fotos, que excedi o limite. Não sei. Tentarei resolver o assunto, mas, entretanto, não deixo de publicar a poesia.

Obrigado pela atenção.

Votos de uma excelentíssima Páscoa, para Si, Caro/a Leitor/a, que teve a amabilidade de me seguir até aqui.)

 

03
Abr23

Primavera(s) na Aldeia...

Francisco Carita Mata

... da Mata!

Na(s) Aldeia(s), a Primavera também se manifesta sob diversos modos e maneiras. E tempos!

(As fotos vão testemunhando o conteúdo verbal.)

Lírio Roxo, a caminho da Fonte da Bica.

Lírio Roxo. Foto original. 30.03.23.

Figueirinha de São João, já rebentada.

Figueira de S. João. Foto original. 31.03.23.

Quer dizer que pegou no terreno do Vale, para onde a transplantei. Agora, há que protegê-la melhor do gado. E, no Verão, ir regando.

Resulta de um ramo que abacelei, em vaso, no Outono de 21, que vingou na Primavera, em 22, e no Outono de 22 mudei para o local atual. Agora, vamos tratar dela!

O Carvalho Roble também “florido”!

Carvalho Roble. Foto original. 31.03.23.

A curiosidade do “amigo” Gil, que me acompanha nas lides campestres.

Gato GIL. Foto original. 01.04.23.

(Também se quererá dedicar às “agrícolas”?!)

Ameixoeira silvestre!

Ameixoeira Silvestre. Foto original. 02.04.23.

E… um "Passarão", um Grifo(?) tentando a bissetriz do ângulo dos fios elétricos!

Grifo. Foto original. 02.04.23.

E as curiosas Cabras, anunciadoras das Páscoas!

Cabras. Foto original. 02.04.23.

Já ouviu o concerto da chocalhada do rebanho em movimento?!

(Pena eu não conseguir transpor vídeos para o blogue.)

Votos de Páscoa Feliz!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D