Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Apeadeiro da Mata

Apeadeiro da Mata

06
Jan24

Árvores no Vale de Baixo: Dez / 23

Francisco Carita Mata

Pinheiro Manso. Foto Original. Dez.23

E resultado de trabalhos no Ginásio IV!

Estas fotos, de Dezembro, mostram algumas árvores no “Vale de Baixo”. São de 19 a 27/2023. Traduzem também a evolução de Outono para Inverno.

Titulando o postal, o “Pinheiro Manso”, que plantei entre pedra granítica, que rebentaram, para aproveitamento, mas que não concluíram. Por isso ficou uma fissura, onde a árvore se vai desenvolver. Junto à pedra, os “aparelhos de Ginásio”!

(Tinha protegido o Pinheiro, com rede, chamiços e canas, de modo que ovelhas e cabras não se pudessem aproximar e roer a planta. Situação que ocorreu por duas vezes, antes desta proteção rudimentar. Este pinheiro foi-nos dado em Almada, há cerca de dez anos, na habitual troca por lixo para reciclar. Iniciativa que a Câmara desenvolve também há várias dezenas de anos. O que nos tem permitido obter várias plantas.)

Os chamiços, em montão, antes de serem queimados.

Chamiços. Foto original. Dez.23

Ao longe, os monumentos carismáticos de Aldeia. No centro da foto, um Eucalipto que o Pai plantou, talvez há mais de trinta anos, também entre duas pedras graníticas nascediças. É atualmente, a árvore de maior porte do espaço.

(Várias Oliveiras, várias vezes centenárias, posicionadas no terreno.)

Ao lado esquerdo, observa-se uma Azinheira, nascida naturalmente entre duas pedras, que me lembro de ver sempre no terreno. Terá várias dezenas de anos. Foi nela que nos inspirámos para plantar árvores entre pedras.

Eis, imagem dessa Azinheira, in situ.

Azinheira. Foto Original. Dez.23

O Pinheiro com a proteção atual, que julgo suficiente face às ovelhas.

Pinheiro Manso. Foto Original. Dez.23

(Perante as cabras não sei!)

As cinzas!

Cinzas. Foto original. Dez.23

O fogo já fora!

(As fotos anteriores são todas de 19/12/23.)

As próximas três são de 24 de Dezembro.

O Chorão, ainda em modo de Outono.

Chorão. Foto original. Dez.23

Ontem, 05/01/23, ainda tinha folhas! Hoje, seis, “Dia de Reis”, está quase totalmente de Inverno. De noite, houve muito vento.

A parte central do Vale, com as árvores de folha caduca, todas em modo de Inverno.

Vale. Parte Central. Foto original. Dez.23

(Ameixieira, gamboeira, freixos, choupo, salgueiro, diospireiro…)

Lado SE e Este do Vale.

Vale. Parte SE e E. Foto original. Dez.23

As Catalpas, já no Inverno. O Carvalho Roble ainda tem folhas amarelas. Mas o irmão já as perdeu.

O mencionado Carvalho Roble, dia 27 de Dezembro.

Carvalho Roble. Foto Original. Dez.23

(Hoje, 6 de Janeiro de 2024, ainda tinha folhas.)

Cada tempo tem seu tempo!

(Para esta metodologia, Outono – Inverno, de certo modo, inspirei-me em "maiordesessenta".)

 

29
Nov23

Pores do Sol: 23 e 25 de Novembro... E hoje!

Francisco Carita Mata

Caro/a Leitor/a,

Certamente dirá que eu abuso das fotos dos pores do Sol!

Mas como poderei deixar de publicar, pelo menos, algumas imagens destes ocasos que o sol nos proporciona, nestes dias finais de Novembro? Agora, verdadeiramente Outono, anunciando-se Inverno, a modos de o frio começar a surgir. Alguma chuva, pouca, tem caído nestes dias finais, deste “Mês dos Santos”, que foi quase sempre em modos de “Verão de São Martinho”!Pôr do sol. Foto original. Nov.23.

(Foto de 23/11: limite sul do adro da Igreja Matriz.)

As duas seguintes são de 25 de Novembro.

Pôr do sol. Foto original. Nov.23.

(Chão da Atafona) 

Pôr do sol. Foto original. Nov.23.

(Hoje, em Aquém-tejo, publiquei um dos meus postais, dedicado às “politiquices”, em que foco um “bitaite” sobre esse dia…)

Na foto de hoje, as cores já são outras!

Pôr do sol. Foto original. Nov.23.

E, por abordar o Outono...

Choupo e freixo. original. Nov 23

(Vale de Baixo, o choupo, verdadeiramente outonal!)

(27/11/23)

 

25
Nov23

Árvores plantadas neste “Verão de S. Martinho”!

Francisco Carita Mata

Freixo e Choupo. Original. 21.11.23

Trabalhos de “Ginásio”, associados a queimadas. E também gatos…

O/A Caro/a Leitor/a tem toda a razão!

As árvores que titulam o postal não foram plantadas este ano.

Já agora, será que consegue identificá-las?!

Bem… eu digo. A que ainda tem folhas outonais é um choupo negro. Será da década passada. Terá para aí uns dez anos. Não sei bem… Obtive-a através de ramo, que abacelei. Cresce muito depressa.

A que está em primeiro plano e já sem folhas, é freixo. São vários, obtidos por sementeira. São dos anos noventa do séc. XX.

Em fundo, está o canavial, de que queimei algumas canas secas. Precisa de grande desbaste. Propaga-se muito, apesar das ovelhas gostarem muito dos ramos verdes. Não tive qualquer ação no plantio destas canas. Estarão por ali há décadas! Sempre as lá vi!

Também uma grande azinheira. Vislumbra-se resto de fumo da queimada.

As fotos que se seguem são de árvores e arbustos que transplantei, dos vasos em que as semeara, para os terrenos em que as pretendo consolidar. Aproveitei este Outono primaveril de meados de Novembro, conhecido por “Verão de São Martinho”. Vamos ver se pegam!

Um Sanguinho, no Vale de Baixo.

Sanguinho. Original. 16.11.23

Bem “vedado”, que as ovelhas são muito gulosas. (Plantei dois.)

No Vale também plantei uma Figueira, mas não sei de que variedade!

Tenho também consolidado os tapumes das outras figueiras e das restantes plantas: amoreira, azinheira, sobreiro, carvalho, romãzeira, marmeleiro, loureiros. Refiro-me às plantas mais pequenas, que as maiores e mais velhas já se protegem por si mesmas.

No “Quintal de Baixo” plantei:

Nespereira!

Nespereira. Original. Nov 23

Roseira Brava

Roseira Brava. original. 15.11.23.

E ainda um espinheiro, algumas murtas, junto de madressilva e figueiras da Índia. Perspetivo que, ao crescerem, formarão uma sebe face ao muro e ao caminho vicinal.

Azinhaga da Atafona. Original. 15.11.23.

Esperemos que assim seja! Que aguentem, principalmente os calores excessivos de Verão, as secas e que eu tenha tempo, possibilidade e paciência para as regar.

E, já se sabe, as companhias…

Gatos. Original. 17.11.23

Na foto anterior, estão manos da ninhada deste ano (Abril / Maio), aconchegados no muro do tanque, no Vale de Baixo.

O branco é Du-Dú. São ambos filhos de Mi-Dú (Dona Maria Eduarda). O “malhado”, a modos e afinal, é “malhada”. Era conhecido por “Riscadinho”, mas já que “mudou de identidade”, batizámo-lo novamente. Passou a chamar-se “Marinete”!

Saúde, Paz, boa disposição e bons trabalhos de tempos livres!

 

24
Nov23

Fogo regenerador! Queimas e Queimadas.

Francisco Carita Mata

Queimada Vale de Baixo. Original. 21.11.23

Vale de Baixo – Aldeia da Mata - Novembro 23

O Fogo um dos “quatro elementos”, segundo os “Antigos”, pode ser altamente destruidor. Nos últimos anos, fruto de variadas circunstâncias, a que não é alheia a incúria dos homens, essa tem sido a sua proeminente faceta.

Mas também pode ser regenerador. E também um modo simples e preventivo do respetivo efeito destruidor.

A foto inicial documenta queima de inertes no Vale de Baixo, na passada 3ª feira, 21/11, durante a manhã e tarde.

Ao final da tarde, quem haveria de me aparecer, no limite NW da propriedade, onde estava na queimada?!

Pois… O Gato Gil.

Gato GIL. Foto original. Nov.23.

Apenas com três patitas, coxeando, lá chegou ele, a fazer-me companhia!

Ficou até depois do sol-posto, quando dei por terminada a função naquele dia.

Regressou. E teve a recompensa. Ele e os sobrinhos. E a mana.

Os animais são deveras interessantes!

Por aqui, os dias continuam soalheiros, apesar de frios. Ontem, o pôr-do-sol voltou a ser de magia!

Saúde e Paz, tanta falta faz!

 

19
Nov23

Verão de São Martinho a terminar!

Francisco Carita Mata

Aldeia da Mata

Ocasos destes dias agradáveis, que, em breve, o frio virá.

Pôr do sol. Foto original. Nov.23.

Estamos no Verão de São Martinho. Ainda!

Informam os meteorologistas que terminará esta semana, que se inicia.

Antes de terminar, não quero deixar de apresentar algumas fotos de pores do sol, deste Verão de São Martinho de 2023, quase a findar.

(Os dias têm estado mesmo quentes. Tenho aproveitado para replantar algumas árvores, transplantando-as dos vasos, onde as semeei ou abacelei, para os terrenos onde as quero ver implantadas. Gosto de fazer estes trabalhos nesta época, verdadeira “Primavera do Outono”. Tentarei escrever e publicar sobre o assunto.)

Hoje, 19 de Novembro, quero documentar sobre este Verão, a findar. Também há quem lhe chame “Veranito”!

Fotos originais, de 18, 15 e 14 de Novembro.

A 1ª foto, que titula o postal, é de ontem, dia 18, tirada no adro da Igreja, já após as 17h. e 30’.

A que se segue, também de ontem, no início da Azinhaga da Fonte das Pulhas.

Pôr do sol. Foto original. Nov.23.

(Nestas fotos, os laranjas são mesmo dos verões! Também realço os azuis!)

Na foto seguinte, de 15 / Nov., tirada quase no Porcozunho, realço os cinzas das nuvens.

Pôr do sol. Foto original. Nov.23.

As fotos subsequentes são todas de 14 de Novembro.

Pôr-do-sol, visto do adro da Igreja.

Pôr do sol. Foto original. Nov.23.

(Publiquei foto idêntica noutro postal.)

Foto tirada no Chão da Atafona.

Pôr do sol. Foto original. Nov.23.

(Ainda antes do sol se por...o perfil das oliveiras e de um cedro.)

As ovelhas pastando, ainda o sol não se pusera...

Pôr do sol. Foto original. Nov.23.

(...brilhando, já quase escondido pelas oliveiras.)

A última foto deste painel, ainda de dia, no Vale de Baixo.

Vale de Baixo. Original. Nov.23.

(De tarde, as ovelhas pastando no prado ajardinado.)

Verdadeira "Primavera do Outono"!

 

05
Out23

Trabalhos de campo / Atividades no Ginásio IV!!!

Francisco Carita Mata

Proteção figueiras. Set. 23. original

Proteção de Figueiras no Vale de Baixo.

Proteção figueiras. Set. 23. original

Apesar do calor ou precisamente por isso, têm de ser feitos alguns trabalhos nos campos. Um deles é precisamente regar.

Outra atividade que tenho de desenvolver, periodicamente, é proteger algumas árvores mais pequenas. As ovelhas são terríveis! Têm uma predileção especial por pequenas árvores. Então pelas figueiras!…

As fotos são de 29 de Setembro, e testemunham o trabalho de proteção de duas figueiritas, que já foram depenicadas este ano. Uma figueira de São João que as cabras comeram, julgo que ainda na primavera, que, entretanto, rebentou e agora completei a proteção que já tinha, reforçando com segunda leva de rede. Por dentro da rede, coloco habitualmente ramos ou troncos secos ou canas, de modo a esconder as folhas verdes, motivo especialíssimo de atração do gado.

As redes, per si, protegem, mas não são totalmente eficazes. As ovelhas pressionam, empurram, levantam a rede por baixo, tentam ultrapassá-la por cima, de modo a alcançarem as folhas e, com esforço e persistência, acabam por conseguir.

É esse trabalho de ação contrária que tenho de executar, contrariando os intentos dos animais.

As fotos mostram as duas figueiritas protegidas, há também uma de pingo - mel e uma amoreira.

Na correnteza das árvores, no lado direito da valeta, também há quatro ou cinco freixos, uma pequena azinheira e um choupo negro.

As fotos documentam genericamente a situação.

Proteção figueiras. Set. 23. original

O aspeto das proteções não parece muito estético, mas o que importa é que seja eficaz!

20230929_105201 (3).jpg

Bons passeios, bons trabalhos de campo, de jardim, boas idas aos ginásios!

Promovem a Saúde e trazem-nos Paz!

 

16
Ago23

Ocaso d'azul e amaranto!

Francisco Carita Mata

Pôr do sol. Foto original. 13.08.23.

Aldeia da Mata - 13 de Agosto de 2013

Pôr do sol. Foto original.13.08.23.

(Fotos anteriores, a partir do adro da Igreja Matriz.)

Já apresentei algumas fotos, ontem, em "Aquém-Tejo" sobre este tempo após o pôr-do-sol.

Mas não resisti a publicar mais algumas fotografias  que tirei do ocaso... pois ficaram muito especiais.

(Azul e amaranto. O Amaranto - ave - também tem andado pelas figueiras feito papa-figos, compartilhando connosco os deliciosos frutos. Mas a esses pássaros, bem como aos outros, é-me muito difícil fotografar.)

Fica o amarelo - laranja - cinza, do pós poente, na foto seguinte, já no Vale de Baixo.

Pôr do sol. Foto original. 13.08.23.

E as ovelhas em modo fantasmagórico!

Pôr do sol. Foto original.13.08.23.

Bons passeios, apesar do calor, embora, ontem, já tivesse estado um pouco mais fresco.

 

05
Ago23

Jornadas em Lisboa, Festa na Aldeia da Mata!

Francisco Carita Mata

Jornadas por essa(s) Lisboa(s), Festa(s) na(s) Aldeia(s)!

E… infelizmente, um Ocaso de realce!

Pôr do sol. Foto original. 04.08.23.

Enquanto, por “essas Lisboas”, decorrem as JMJ – Jornadas Mundiais da Juventude, na minha Aldeia vão decorrer as Festas de Verão.

Cartaz elucidativo:

Cartaz Festa Aldeia. Ago.23

Sobre as Jornadas e observando apenas pelo que a comunicação social nos mostra, revelam-se um acontecimento deveras impactante. Esse impacto observa-se, no agora, neste imediatismo de curto prazo… Para quem organizou, concebeu, acompanhou, estruturou, se inscreveu… esse impacto terá sido vivenciado já há algum tempo… Para quem as viveu, está vivendo presencialmente, nos variados modos possíveis, persistirá certamente no tempo… Ainda por muito tempo... Certamente para "sempre", nos tempos e nos lugares em que se viveram, se realizaram… Para quem as interiorizou, nos mais variados aspetos e circunstâncias, serão certamente uma marca, quiçá identitária, no seu Ser.

A nível de mensagens, de ideias e ideais veiculadas/os, de princípios dimanados, ressaltam uma grande positividade.

(Algo por demais visível, as notícias da guerra, das guerras sem fim à vista, foram relegadas para plano bem mais secundário.)

Não fui, nem poderia ir. Nem sou especialmente fã de multidões. Melhor, se puder, não me meto em multidões nem confusões. Mas, apesar dessa minha atitude natural, até gostaria de observar, não os eventos em si, mas cirandar um pouco pela(s) Lisboa(s), observando os efeitos destas Jornadas nos vários enquadramentos habituais da(s) cidade(s). Quanto mais não fosse, ter vagueado por Almada, aonde sei que acorreram muitos participantes, peregrinos…

(Gostaria de ter tido oportunidade de ter observado… presencialmente.)

Que os ideais das JMJ persistam na Humanidade. E que frutifiquem positivamente no Mundo!

E voltando à Festa na minha Aldeia... Que corra pelo melhor!

E… Caro/a Leitor/a, aí pela sua Terra também decorrem Festas de Verão?!

E… infelizmente, nova foto de um Ocaso de realce!!...

Pôr do sol. Foto original. 04.08.23.

Infelizmente??!!!...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D